sábado, 23 de junho de 2012

Eu me desmancho por você, Chico.


Te aceito com as tuas manias, teus defeitos e tua barba por fazer. Te aceito, Francisco, com a sua mania feia de beber. Te aceito com o sorriso maior que a boca e o olhar maior que os olhos. Te aceito nem sei porquê e se sei, não quero dizer. Te aceito, Chico. Pronto. Sim, eu te aceito.
Faz careta, boca torta, fecha os olhos. Nem se quer uma fotografia descente você consegue tirar. Sempre tentando fazer piada de tudo, na maioria das vezes sendo mais inteligente do que precisa ser. Você e seu amor pelos números, você e seu estranho amor por mim... Morena voluptuosa, escandalosa, de coração maior que o peito. Como pode? Todo-todo. Letrado, vivido, cheio de bons amigos e más companhias. Como pode! Se interessar logo por mim? Por mim? Logo por mim?! Sempre fazendo a coisa errada no momento certo e me reconquistando com um sorriso simples. Um só.

Olha pra mim, Chico. Sem rir. Só olha...

Meus maiores segredos estão guardados nos teus olhos, meu querido. Trocando longas conversas por curtas bebedeiras, sem hora pra chegar e com hora pra sair. Eu aprendi a dormir acompanhada e acordar sozinha. Na hora H, você desaparece. Mas reaparece logo, todo malandro, sempre cheio de saudades. Teu cheiro, teu beijo, teu olhar... Ah! Estão todos tatuados em minh'alma. Ninguém te arranca de mim, homem. Porque... Porque... Eu não sei. Porque eu não quero - talvez -. Você traz cor pra minha vida, Chico. Você ilumina até os meus dias mais escuros.

Você quer ser grande, eu só quero ser sua.
Você quer o céu, eu só quero seus beijos.
Você quer a mim, eu quero a você. Simples assim.

Não sei se daria certo. Você assim, eu assim. Bossa, samba, pagode... Rock! Não sei não... Você não toma jeito e eu não sei se te endireito. Só sei que te aceito, assim, exatamente do jeitinho que você é. Eu te aceito. Nem precisa me pôr uma aliança no dedo, eu te aceito do mesmo jeito. Te aceito com cheiro de cachaça, com olheiras, de mal humor... Eu te aceito, Chico. E te cuido. E te amo. Porque, Chico, eu me desmancho por você.

Nenhum comentário:

Postar um comentário